Páginas

QUEM SÃO OS CAMBONOS DA UMBANDA?

a1 

Quem frequenta as giras de Umbanda apenas como assistência, ou quem está iniciando seus trabalhos dentro de um terreiro de Umbanda, em geral não tem conhecimento do cabedal de fundamentos que alicerçam a segurança do que parece ser “apenas” mais uma gira, no dia a dia do calendário deste terreiro. Desconhecem que por traz do ritual aparentemente repetitivo, cada dia é o resultado de um combate contra as trevas, e na manutenção do Equilíbrio, nas Vibrações Elevadas, na correção de energias inadequadas que advém de cada um, oriundas das lutas diárias ao se conectar com este mundo de provas e expiações. Não têm ideia que um terreiro de Umbanda se transforma num dínamo energizado, cuja função é pulverizar todas as vibrações menos boas, todos os pensamentos impuros, todas as intenções rancorosas, todos estes miasmas que grudam como lama nos perispíritos dos encarnados quando não conseguem a manutenção da conexão com o Alto, o que é frequente, visto a baixa qualidade de nossa ambiência no cotidiano.
Entre a riqueza de conceitos que permeiam a religião umbandista, se encontram os cambonos, que passam despercebidos, e que na maioria das vezes são médiuns em desenvolvimento, que ali estão para aprender com as entidades, ou médiuns que não incorporam, mas qualquer cambono é muito importante na sustentação da corrente da casa, mantendo o padrão vibratório elevado por meio de pensamentos e sentimentos elevados.
O Cambono ou Cambone, é o médium que participa nas giras de assistências como auxiliar dos Guias em terra, podendo ser designado na hora dos trabalhos, pelo Primeiro Cambono, pela Ialorixá ou pela Iabá.
No livro “Umbanda sem Medo I ” vemos :
“A palavra “Cambono” é originária do termo: Kambondo; Kambono; Kambundu; que nada mais é do que um título consagrado aos homens que não entram em transe mediúnico, e são responsáveis por várias funções de alta confiabilidade nos Candomblés de Nação Congo Angola.
Portanto, esse termo já existia antes da anunciação da Umbanda e já era consagrado para definir um cargo auxiliar importante dentro dos culto-afros, sendo, posteriormente absorvido pelos umbandistas para definir os obreiros que auxiliam os Guias Espirituais nos trabalhos mediúnicos. Qualquer tipo de “cargo, atividade e/ou funções” dentro de um Terreiro umbandista tem como designativo o pré-nome: Cambono, seguido pela atividade que ocupa.”
a2O Cambono precisa conhecer a mediunidade e tudo o que diz respeito ao trabalho com a espiritualidade. Deve ter grande firmeza de pensamento e sentimento a fim de evitar desequilíbrios emocionais e espirituais que poderiam pôr a perder a segurança do trabalho. Não pode ter qualquer tipo de preconceito. Ele não está ali para julgar ou criticar os casos que tem a oportunidade de observar, mas para colaborar para que sejam solucionados da melhor forma, de acordo com a sabedoria e a justiça de Deus. E nunca deve relatar ou comentar, dentro ou fora da casa, as informações que ouve, os problemas dos quais fica sabendo e os casos que vê nos trabalhos de que participa.
O Cambono tem ainda como responsabilidade, cuidar dos apetrechos do Guia, buscando garantir a organização dos objetos e a conservação e limpeza do ambiente (uso de cinzeiros, copos, etc) bem como guardando nos lugares corretos os objetos emprestados pela Casa Espiritual (pemba, prancheta, etc). Outra responsabilidade sua é a anotação, bem legível, e correta das orientações do Guia, bem como do material que for solicitado.
É importante a conscientização do Cambone em aproveitar todas as oportunidades de reflexão e crescimento, pois acompanhando diversos atendimentos, e sempre pensando naquilo que também lhe diz respeito, obterá muitas reflexões produtivas ao seu crescimento espiritual. Deve sempre manifestar boa vontade, bom humor, disponibilidade em ajudar e resolver os problemas ao redor, além de exercer sempre a caridade com humildade, nas palavras, e nos atos. A função de Cambono é uma grande oportunidade de crescimento espiritual e deve ser aproveitado, pois o aprendizado irá enrijecer o caráter, melhorar seu padrão magnético e vibratório e permitir que mantenha as vibrações equilibradas e fortes, evitando assim a quebra da corrente fluídica.
Quando se fala na importância do Cambono na manutenção da corrente fluídica do terreiro, estamos falando de algo que é de responsabilidade de todos: médiuns os chefes de terreiro, a assistência, assim como os cambonos. Mas são os cambonos que chamam atenção quando ocorre alguma situação que possa quebrar esta corrente, o que pode permitir a entrada de forças trevosas com consequências desagradáveis para o terreiro. Você já deve ter ouvido alguém chamar atenção desta forma: “Olha a corrente, gente! Vamos concentrar”!
Quando se chama atenção para a corrente, é porque pode estar havendo diminuição da energia ambiental, ligada à egrégora, que deve ser mantida durante todo o tempo pelos médiuns, em potencial elevado, através de pensamentos positivos, silencio e prece.
Uma Egrégora provém do grego “egrégoroi” e designa a força gerada pelo somatório de energias físicas, emocionais e mentais de duas ou mais pessoas, quando se reúnem com qualquer finalidade. É o envolvimento, clima envolvente, estado de Espírito resultante de fatores externos e internos. Quando um grupo de pessoas se reúne em meditação e oração com um objetivo comum, pela união do amor e da vontade é criada uma forma pensamento. Essa forma pensamento coletiva é formada pela vontade dos encarnados e desencarnados, movida pela intenção. Baseada na Grande Lei de que cada pensamento/sentimento, cada intenção, quando aliada ao desejo sincero transmite uma força dinâmica separada do ser que a forma e a envia, formamos um grupo de meditação e oração para podermos juntos emitir pensamentos saudáveis de amor e paz, conduzidos no plano astral pelos Anjos, Orixás, Guias Espirituais, Santos, etc., canalizados para um bem comum.
Este pensamento coletivo movido para o Bem, e sustentado pelas Entidade Espirituais iluminadas que protegem cada terreiro, pode atrair cada vez mais forças positivas, beneficiando a todos que ali se encontram, através da resolução de problemas físicos, morais, mentais e emocionais. Quando a egrégora formada é poderosa, só o bem e Luz atuam. Se uma entidade inferior for atraída para dentro da egrégora, ela fica de certa forma subjugada pela força desta e desse modo se consegue lhes dar um melhor encaminhamento para outros planos espirituais.
Porém, se a corrente fluídica é adulterada com pensamentos frívolos, maus, de vingança, despeito, cobiça,inveja ou ciúme, também entidades afinizadas com pensamentos de baixa vibração serão atraídos, diminuindo muito o padrão energético e a possibilidade de auxílio de uma gira.
É também papel do Cambono convidar os assistentes, de forma particular ou coletiva, a se manterem com o pensamento elevado, firmes, evitando burburinhos, e conversas fúteis, que podem levar à distração e pensamentos não condizentes com a vibração adequada. Se a corrente fluídica da gira não for suficiente, a egrégora não será convenientemente fortalecida e várias complicações podem acontecer com o passar do tempo, sendo que, o(a) dirigente, por ser o centro maior das atenções e para quem convergem as maiores quantidades de energia ali geradas e mesmo as trazidas pelos assistentes, é quem sofre, por assim dizer, as maiores consequências dos trabalhos realizados sem a devida segurança, mas estas consequências podem reverberar também nos médiuns trabalhadores da casa.
Algumas complicações geradas pela quebra da corrente fluídica são por exemplo: médiuns não conectados positivamente com suas entidades de guarda, o que pode provocar incorporações insatisfatórias e animismo; Perturbações advindas por entidades do astral inferior; manifestações muito turbulentas que podem colocar em risco o físico dos médiuns; extremo cansaço do dirigente e dos médiuns de trabalho, pela grande perda energética sofrida.
O normal é que ao fim dos trabalha todos estejam bem, quando a egrégora está harmonizada e fortalecida e bem conectada com vibração das entidades elevadas, responsáveis pela proteção da casa.
Ainda sobre a egrégora de Terreiros de Umbanda, é preciso que se explique que ela, além de ser formada e nutrida com a energia gerada em cada reunião, também é favorecida pelas “firmezas” ou “assentamentos” que devem ser tratados, reforçados e respeitados.
Os Cambonos então, participam de todos os momentos onde se é necessária a formação, sustentação e manutenção desta corrente fluídica e mediúnica que permeia todos os espaços físico e espiritual de um terreiro de Umbanda, e ao mesmo tempo que auxiliam, estão sendo ajudados, aumentando seus conhecimentos através das palavras carinhosas dos Pretos Velhos e da sabedoria e grande proteção dos Caboclos e Crianças.
Saravá então à coroa dos Cambonos, que eles sempre tenham consciência de seu trabalho, a responsabilidade para cumprir seu papel e prosseguir sempre.

Alex de Oxóssi
www.rbrj.com.br




Leia Mais

ODOIÁ, MINHA MÃE IEMANJÁ!

ie


Saravá Mãe D’agua! Salve Rainha das Ondas, sereia do Mar! Que nos acompanhaste por todas as luas, por cada amanhecer deste ano que se despede!

Salve, minha Mãe! Que protegeste cada filho seu em cada passo, que choraste com nossas dores, e colocastes a mãos sobre nossas cabeças nas noites insones. Que nos abraçaste nas horas aflitas, e na invisibilidade nos acolheste e nos embalastes nas suas ondas.

Muitas vezes os filhos da terra se assustaram com a força das águas que invadiram as cidades e lares, mas tenho certeza que foi sua intersessão que impediu que fosse pior, assim como tenho certeza que minha integridade física e espiritual, tantas vezes testada, esteve em todos os instantes sob sua tutela e proteção.

Quantas vezes nos deste a mão e foi com teus passos que nos conduziste a melhores caminhos que aqueles que poderíamos ter escolhido. Nos mostra o infinito mar e sua Força a cada dia, mas nem sempre conseguimos senti-la.

Maleme, minha mãe, estarei mais sintonizado para perceber seus emissários, estas Caboclas e Caboclos do mar, estes Preto Velhos que lhe representam na espiritualidade junto a nós, assim como os Boiadeiros e os Ciganos que navegam contigo pelo mar afora. A vida muitas vezes nos oprime e quer nos tirar a visão, mas eu vejo e nesta hora lhe entrego meu coração repleto de agradecimento por todas as graças, por todas as bênçãos, por todas as lições, que carregarei para todo sempre, onde eu estiver.

Minha oferenda é meu Amor representado por uma rosa branca que coloco sob seu altar sagrado, sentindo a areia sob meus pés, pedindo licença e humildemente lhe entrego, pois quero ser esta rosa, quero ser a própria oferenda, sendo o mais simples de seus seguidores materializados neste orbe.

Odociaba, contigo nunca estarei sozinho, seguirei pela minha Fé, levando aos ventos que a Umbanda é Alegria, é transformação, é caminhar firme. Serei seu marinheiro, andando sobre as ondas desta vida, aonde quiseres me levar, e no balanço do Mar Astral, estarei caminhando pelas ondas e pelas estrelas. Saudarei todas as Iabás, benditas, e nunca me perderei pois é o rumo, é o farol, é a Estrela guia no céu, é o acalanto de todas as horas na terra.

Que todos os cantos evocados nesta época do ano, cheguem a Ti e consigam suas graças, que todas as oferendas que receba, todas as que realmente tiverem a direção mágica da Fé e da Esperança, sejam por Ti recebidas, como um singelo agradecimento pelo muito que fazes, pelas inúmeras coisas inimagináveis que acontecem, e só quem crê entende. Senhora, que mora no esplendor do Oceano, a doçura de seu olhar nos emociona, entenda que muitas vezes enchemos seu reino de detritos, mas que eles não sejam poluentes e sim plenos do Amor, da Gratidão, do Reconhecimento por suas abundantes dádivas.

Mãe Janaína, somos tão pequenos, frente seu esplendor, mas ouvimos seu canto, e vamos a sua direção, aprendemos a acreditar, aprendemos a lhe respeitar, e tentamos seguir reto, para não ter o lhe temer. Mas sempre nosso íntimo estremece quando em contato com sua vibração, e se manifesta com esta Força da Natureza tão intensa que é o Mar imenso que é sua morada na Terra, pois no Astral sabemos que está junto aos outros Orixás, brilhando intensamente, com seu manto de estrelas, trabalhando todos juntos para nossa evolução.

Amada Rainha das Águas, Mensageira da Paz! Que a Terra esteja em posição de evoluir suficientemente, seus habitantes lhe respeitem e guardem os bens valiosos da Natureza, que esses pensamentos permeiem a todos para que cada um veja a direção da sua Luz, e no espelho d’água , assumam a proteção do planeta, fazendo-o melhor, mais limpo, menos acossado por guerras, mais permeado pela Fraternidade, pela União, e seguindo suas marés, prossiga ininterruptamente para sua Evolução!

Ah, Iemanjá! Quanto mais eu quisera dizer, mas sigo, embalado por suas ondas, em silêncio, ultrapassando as areias fronteiriças e mergulhando em suas santas águas, me mantendo em oração por Ti, e por todos nós.
Salve a Sua Luz Infinita, Salve a coroa de Zambi que permite a vibração de todos estes Orixás benditos!
Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

FELIZ 2014! Oração a nosso Pai Maior

2014


 

Deus de Luz e Misericórdia, mais uma vez a Terra gira sob seu eixo, no equilíbrio mágico do universo. Mais uma vez estamos sob este Sol, sob a Lua, as estrelas, o firmamento, no silêncio das horas, tentando achar nosso lugar neste grande Cosmo.

Permita, meu Pai, que estejamos a cada dia deste novo ano, em Harmonia com as vibrações que emanamos, caminhando sobre este solo hostil com a alma plena de Fé e Esperança, sabendo que tudo tem um sentido, um significado.

Que possamos exercitar a reflexão, a compreensão daquilo que nos chega, que valorizemos cada hausto de ar que consigamos respirar, gratos pela possibilidade de cada passo.

Permita-nos a Saúde física, emocional e mental, para podermos prosseguir, ter o equilíbrio e a ponderação frente todos os desafios, a alma repleta de Paz que só a interação contigo permite.

Que nossa capacidade de amar se expanda, pois amar é o caminho de toda a compreensão. Estando na Força do Amor, não deixaremos as sombras e as trevas se aproximarem, e nossos corações não abrigarão sentimentos turvos. Seremos como água límpida e impoluta, que suprirá nossa própria carência, e permitirá que sejamos sempre como jardineiros de muitas flores nesta Terra Fria.

Senhor dos Mundos, nos envie as entidades benéficas para nossa proteção, que o diapasão da nossa alma vibre de forma a alcançar suas bênçãos, e que possamos ouvir seus conselhos e a direção certa, através de nossa capacidade intuitiva.

Que sejamos medianeiros conscientes nesta grande estrada, acrescentando nossa pequena luz a tantas outras que seguem no astral sem fim.

Que sejamos capazes de conciliar a matéria e o espíritos em todos os momentos e nunca deixemos de nos desconectar.

Que todas as guerras, fome, doença e miséria possam ser atenuados, que os dirigentes das nações sejam orientados para ações nobres e pacíficas.
Que a Besta se canse de atribular nossos caminhos, ao ver que nossa convicção se dirige à Vossa Suprema direção.

Esteja conosco a cada átimo, para podermos ilustrar nossos livros da vida com ações dignificantes, que destruam nossas correntes, nossas amarras.
Nos ensine a sermos melhores, Meu Pai, e obrigada, por tudo que criaste, por tudo que nos deste, e cria e dá infinitamente.

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ
Ler Mais

SALVE MEU PAI XANGÔ E MINHA MÃE IANSÃ!!!!!!!!!!!!!!!

Embalados na força de Xangô e de Iansã, vamos refletir nos pontos destes adorados Orixás!

Ponto de Xangô

Por detrás daquela serra,
Tem uma linda cachoeira!
É de meu pai Xangô!
Que arrebentou sete pedreiras!

Foi água nascendo na fonte e espinho na flor!
Do seu medo escondido nasceu a coragem de ser vencedor.
Punhal na mão, no peito um escudo mais fiel,
de quem na terra concebeu o céu!

São sete pedreiras que ele aprendeu a quebrar,
na faísca da fúria, no raio da chuva à luz do luar!
Lavou o corpo com o vinho amargo do suor,
e fez do próprio bem, de todos os males, talvez o menor!

Ponto de Iansã

Iansã Orixá de Umbanda
Rainha do nosso congá
Saravá Iansã lá na Aruanda, Eparrei!
Eparrei Iansã venceu demanda
Iansã, saravou pra Xangô
No céu, onde se coroou
E lá nas matas leão bradou
Saravá Iansã
Saravá Xangô

xa


Então, segundo as perspectivas que nos mostram, Pai Xangô e Mãe Iansã irão reger 2014.

Na verdade, para quem crê, todos os Orixás estão presentes em nossas vidas a cada dia, e aproveitamos a oportunidade para elevar nossos pensamentos à Espiritualidade Maior, ao reino de Aruanda, onde se encontram as entidades benditas que nos protegem a cada passo, em todas as hierarquias, até chegar a nós, tão imperfeitos, tão necessitados de orientação em nosso percurso acidentado.

Que Pai Xangô nos traga sua Força, nos protegendo de toda injustiça, e que Mãe Iansâ com sua Magnitude nos mantenha a salvo de toda a influência deletéria, que estejamos sempre a postos de praticar o Bem, rumando em direção aos nossos destinos, traçados pelas nossas decisões e que estas sejam regidas pelas Forças Maiores, para que não tropecemos, e consigamos resgatar nossa direção, na Esperança, na Fé.

ia


Que tenhamos a influência Maior, de sermos inquebrantáveis como a rocha frente às intempéries, que tenhamos sempre a certeza que eles nos encaminharão para os melhores trajetos, que não tenhamos medo de mudança alguma e sigamos, firmes e resolutos, construindo nossa estrada, escrevendo em nosso livro da Vida, não deixando uma só linha em branco.

Que a cada final de dia, possamos parar, e elevar nossos pensamentos na imensidão que reluz no infinito, onde só há beleza e crescimento. Que conquistemos nossa alegria através da força que emana das pedreiras, dos ventos e de todos os símbolos sagrados que a natureza nos rodeia, lembrando a presença divina destes orixás benditos.

Poderosas forças, através de seus falangeiros que já alcançaram os patamares de protetores e guias, estejam conosco em cada passo, somos simples pedintes, mas faremos o possível, dentro de nossas limitadas possibilidades, para também sermos o exemplo de sustentação e firmeza frente todas as vicissitudes de nossos irmãos de provas e expiações.

Na sua Força e no seu Axé, prosseguiremos, através dos dias, sendo instrumentos de Fé, Superação e sobretudo buscadores de seus mistérios, com a ajuda da espada de Iansã e da faísca e do trovão de Xangô, acreditando no poder de Aruanda, nos vestindo das armas do Bem da amada Umbanda!

E se tivermos de ultrapassar noites escuras da Alma, que os raios e trovões de Xangô nos iluminem a jornada, e que os ventos de Iansã dispersem todas as forças malévolas, nos trazendo em segurança ao novo dia, ao alvorecer de nossas almas atribuladas.

Eparrei, Iansã, Eparrei oiá!

Kaô, Kabecile meu poderoso Pai Xangô!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

TRANCA RUA DE EMBARÉ

trPara falar deste Exu quase desconhecido, temos de nos reportar a Santo Antônio.

Santo Antônio, nascido Fernando, teve uma infância comum em Lisboa, mas sempre ao seu redor ocorriam coisas sobrenaturais, como pássaros revoando nos recintos sob suas ordens. Na juventude, encontrou-se com frades franciscanos que esmolavam para ir até Marrocos. Ao saber que tais frades haviam sido barbaramente chacinados pelos muçulmanos, resolveu aderir à Ordem franciscana e ir até Marrocos, disposto a tornar-se mártir também. Lá chegando, não conseguiu seu intento, pois adoeceu e teve de voltar. No caminho de volta, o “destino” o fez encontrar-se pessoalmente com Francisco de Assis, e assim tornou-se um dos maiores divulgadores dos pensamentos de Francisco, levando uma vida de pobreza, generosidade e profunda reflexão. Efetuou curas e milagres e assim tornou-se ao final da vida, em Pádua, aquele que depois foi considerado santo.

O Visconde de Embaré, devoto de Santo Antonio, construiu a igreja de Santo Antonio de Pádua, construção esta que teve sua obra suspensa por conta da guerra. Posteriormente, finalizaram e a mesma se tornou Basílica, com afrescos representando a vida de Antônio de Pádua.

Conta-se que no Brasil, os escravos sincretizavam os santos católicos, participando das festas, mas na verdade aproveitavam estes festejos para reverenciar seus Orixás secretamente. Como nas festas de Santo Antonio sempre havia fogueiras, pelo fogo associaram Santo Antonio a Exu, e assim até hoje, a Umbanda cultua Santo Antonio como o representante maior dos Exus. Algumas imagens de Santo Antonio o representam com um lírio na mão direita, significando pureza e uma chama de fogo na mão esquerda,simbolizando a caridade.

Esta conexão de Santo Antônio e a família Embaré, pode talvez nos levar ao senhor Tranca Rua de Embaré, e como todos os guardiões, faz a conexão entre o mundo espiritual e o físico, trazendo as características de seriedade, reflexão, intelectualidade, fraternidade e rigor que permeava a personalidade de Santo Antônio.

Ao estudar a história do mundo, podemos notar que Santo Antonio foi atraído em seu tempo por movimentos que eram contrários a toda linha de pensamento católico. Inicialmente,foi um sacerdote Agostiniano, mas posteriormente aderiu à Ordem Franciscana. Como já vimos, impressionou-se com os mulçumanos, e sabemos que centenas de anos depois, os negros malês, mulçumanos de origem africana que foram também escravizados, trouxeram seus conhecimentos milenares do antigo Oriente, sua magia, que foi absorvida na formação do candomblé brasileiro, o que também ocorre nas linhas de Umbanda cruzada.

Posteriormente, Antônio de Pádua, ou Antonio de Lisboa, deparou-se com a filosofia dos cátaros ou albigenses, que incomodavam tanto a igreja católica, que contra eles foi organizada a 3ª Cruzada, que os levou à destruição total, por volta do ano de 1240. Não sabemos quanto de influencia o pensamento cátaro conturbou os pensamento de Antônio, que na época tentava a sua maneira demovê-los de suas ideias. Os cátaros abominavam a corrupção que imperava na igreja naqueles dias, e voltavam seus estudos apenas para as escrituras dos primeiros apóstolos, não aceitando os dogmas do batismo, comunhão, eucaristia e tinham suas ideias próprias sobre casamento. Acreditavam que o homem já nascia com aptidão para o mal, e tentavam combatê-lo com boas ações e pensamentos, e este pensamento rebelde para a época, decretou sua pena de morte. Na época, Antônio de Pádua tentou trazê-los de volta aos preceitos católicos, sem êxito. Porém, na espiritualidade ele deve ter constatado as infâmias que os religiosos praticavam em nome de Deus, e já como espírito, por certo começou a ter a dimensão do Bem e do Mal verdadeiro.

O que podemos comentar, é que embora não saibamos muito sobre o Senhor Tranca Rua de Embaré, podemos nos lembrar de Santo Antonio homenageado pelo Visconde de Embaré, que tentou imortalizar a história e a obra de Santo Antonio, e nos reportar à vida deste santo, no ponto de vista de alguém que muito aprendeu, e que provavelmente no mundo espiritual, seu espírito antigo conseguiu compreender que as diversas formas de encontrar Deus não são melhores ou piores, e sim deve-se agregar o conhecimento das inúmeras fontes de conhecimento, pois todas elas levam ao Pai. Além deste enorme saber, agora, como espírito ascensionado, ele continua atuando, espalhando a Caridade, a Responsabilidade, a Firmeza de Caráter, e tem como seus seguidores estes espíritos que lutam por nós e para nós conduzindo a Chama de Luz entre os mundos.

Então, da mesma forma, devemos prosseguir, convivendo com as diferentes crenças, caminhos e situações, mas pautando no exemplo daqueles que venceram, dentro das imperfeições mundanas o preconceito, a ganância, a ignorância da Verdade.

Exu não nos quer santos, mas ativos dentro da energia de vida que cada um recebe, utilizando seu tempo na Terra para aprender, conhecer e entender, seja através dos livros, seja através da experiência própria, os vários caminhos que existem, e através do aprendizado, muitas vezes através do fogo do sofrimento, vamos nos moldando, transmutando na alquimia da Existência, para galgar, como eles, os inumeráveis degraus da Verdadeira Vida.
Exu quer compreensão, quer percepção do Certo e do Errado, quer que cada um de nós siga construindo sempre, edificando boas obras para que outros sejam beneficiados. Exu não quer lamentações, nem admite oportunismos, mas sempre que precisar, pode pedir a Exu a coragem e proteção necessárias para uma vida que não seja em branco, que tenha um objetivo, uma função, um significado.

Laroyê, Exu! – és o mensageiro!
Exu é Mojubá – meus respeitos, eu te saúdo Exu!

ORAÇÃO AO SENHOR TRANCA RUA DE EMBARÉ

Exu Tranca Rua Oração
Agô!
Reverência a vós, que é mistério sagrado da criação, é manifestação divina, peço que possa se manifestar entre nós conforme nosso merecimento, com seu poder, com sua força e magnitude, pelo caminho tribal que emana de vós, pelo caminho só vós conheces, pela força que só a vós pertence, força que você pertence, e pelo poder de trancar a vós concedido eu lhe peço
Que as barreiras que habitam em mim sejam trancadas.
Que o ouvido e sentimentos impuros que emanam de minha alma sejam bloqueados.
Quaisquer falsidades que emanam de mim sejam trancadas.
Que o rancor e a miséria que vive em meu coração sejam trancadas
Que a dissolução e superficialidades que nasçam de minhas palavras sejam obliteradas.
Que o egoísmo e a maldade que transcendam em minha mente sejam bloqueadas.
Que a palavra feia da minha boca e os pensamentos da minha cabeça contra o próximo, sejam trancadas .
Que a capacidade que os meus olhos têm de amaldiçoar e destruir, seja trancada .
E assim, a fonte primária de toda a criação, transcenda a tudo isso , e que através de sua essência mágica:
Destranque todas as portas do meu caminho
Destranque todas as passagens do meu dia
Destranque todas prosperidade materiais e espirituais .
Destranque o meu coração das amarguras .
Destranque o meu sustento todos os dias.
Destranque o meu corpo espiritual e o meu corpo material da agonia, do desespero que se escondem em cada noite
Destranque o meu trabalho, meus negócios e meu lar.
Destranque meus martírios familiares.
Destranque os meus olhos para as maravilhas do mundo espiritual.
Destranque a minha liberdade .
Pois és Força Sagrada do Divino Criador e portador supremo da vitalidade!
Salve misterioso Senhor Tranca Rua de Embaré!
Laroiê !

 Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ
















Fontes consultadas
Ordem dos Frades Menores Capuchinhos
Templo Espírita Caboclo Pantera Negra
Genuína Umbanda
Exú e Pomba Gira na Umbanda
Ler Mais

SUICÍDIO

su

Não podemos julgar a extensão da dor íntima de cada um. Porém acreditamos que aqui estamos por uma causa, cada um vem em missão, e este despertamento ocorre para alguns muito precocemente, e para outros, repetidamente não enxergam os chamados de sua caminhada.

Precede-se ao suicídio a mortificação, que como a palavra mostra, é o sentimento de morte na alma, provocado por alguma atribulação. Para alguns, são as dívidas que se acumulam, para outros, um sentimento de culpa por não se perdoar por algum erro. Recentemente os jornais mostram o alto índice de suicídio em antigos atletas que sofrem de Encefalopatia traumática crônica, devido a repetidos traumas no crânio que lhes causam distúrbios de personalidade e os invalidam para uma vida normal. Há os que recebem a notícia e serem portadores de uma doença incurável e se desesperam, e por conta disso, aumenta o número de pessoas que pregam o direito à eutanásia, principalmente em países que não tem o escopo da crença no espírito e na vida após a morte. Outros, não conseguem se desapegar de relações que acabam, e muitas vezes praticam o suicídio indireto com a depressão, uso de drogas, álcool e pouco apreço pelo aparelho físico.

Não estamos num planeta evoluído. A duras penas, trilhamos em meio às expiações e provas, onde somos diariamente testados em nossa resistência. É fácil deslocar-se da realidade para uma vida de facilidades, onde há abundância de amizades virtuais, palavras emblemáticas, filosofias rasas, o foco em motivos risíveis, beleza física, bens materiais, exuberância, competição e poder.

Ocorre que cada vez menos paramos para olhar para dentro, enfrentarmos o espelho de nossa alma, e admitir que nascemos sós, e deste planeta partiremos sós. Podemos nos cercar de milhões que nos acompanham, mas temos de entender que poucos são aqueles que se afinizam com nossas almas, e estão conosco por laços que ultrapassam tempo e espaço. Temos de ter as lentes para valorizar aquilo que representa realmente os valores da vida dentro de um mar de ilusões.

Por outro lado, é imprescindível o amadurecimento do ser, porque estando junto a outros, muitas vezes desenvolvemos laços de dependência emocional, financeira, moral. Precisamos exemplificar nossa força, para que outros assim a adquiram. Fugir do cenário das dificuldades torna-se recurso que poderá colocar em jogo a vida de tantos quantos vivem ao redor, mostrando na realidade grande irresponsabilidade com compromissos assumidos, nesta e em outras vidas. Falando cruamente, é o fracasso em toda a programação previamente agendada para um passo a frente em sua evolução pessoal e espiritual, mas também de tantos outros que lhes acompanham a jornada.

No livro “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, cap XXVII, item 71 podemos ler: “O suicida é qual o prisioneiro que se evade da prisão, antes de cumprida a pena; quando preso de novo, é mais severamente tratado. O mesmo se dá com o suicida que julga escapar às misérias do presente e mergulha em desgraças maiores”

No site “Todos Somos Um”, há um texto sobre suicídio que transcrevemos abaixo:

”Então, um atentado contra a vida não é um atentado exatamente contra Deus, mas contra todos os seus amigos, mentores e engenheiros espirituais que planejaram sua encarnação nos mínimos detalhes, e contra a própria energia Divina que foi "emprestada" para animar seu veículo físico de manifestação: seu corpo.

Equivale aos EUA gastar bilhões para mandar um homem a Marte, e quando ele estivesse lá resolvesse voltar porque ficou com medo ou sentiu saudades de casa. Todos os cientistas envolvidos na missão ficarão P da vida, e com razão. Afinal, quando ele se candidatou para a missão, estava assumindo todos os riscos, com todos os ônus e bônus decorrentes de um empreendimento deste tamanho. Quando esse astronauta voltar à Terra vai ter trabalho até pra conseguir emprego de gari.

É mais ou menos assim no plano espiritual. Um suicida nunca volta pra Terra em condições melhores do que estava antes de cometer o autocídio.”

Além disso, cada um que nasce, vem com um “quantum” de energia, sua carga de força vital, que também chamamos de ectoplasma. Na verdade a vida não vem do coração que bate, mas nesta força invisível, este dínamo que vem do Cosmo Universal e permite a genética se manifestar, as células se reproduzirem, e enfim, termos a forma humana, com a inteligência advinda de “lócus” extra-físico, ainda muito longe de ser plenamente compreendido. Esta máquina perfeita, que ser nenhum da terra consegue compreender plenamente, apenas copiar precariamente, como se fosse o supra-sumo de criatividade científica, vem com um objetivo para aqui trabalhar e cumprir sua finalidade. Vem com o “prazo de validade” predeterminado, a partir de muitas conjunções feitas pelos espíritos amigos, por aqueles que se responsabilizam pela reintrodução dos espíritos na carne, e que tentam sempre harmonizar o máximo para todos. Isto quer dizer que a vinda pela reencarnação sempre estará ligada à reencarnação de outros tantos, na imensa rede espiritual da Lei do Progresso.

Quem atropela este processo, se acha com direito de dispor de sua existência para destruí-la quando lhe aprouver, estará condenado a ficar sob o solo muito tempo . Se abençoado pela caridade dos espíritos que guardam o silencio da calunga pequena, serão auxiliados a queimar mais rápido a energia que estão desperdiçando, que ainda lhes moveriam por anos sobre a face do planeta. Mas se perderam toda a oportunidade de auxílio e fecham os olhos aos guardiões, facilmente serão levados pelas hordas trevosas, que lhes devorarão toda a energia, e pior, a usarão para induzir suicídios diretos e indiretos a outros. Resumindo, o suicida, que pensa estar autossuficiente em seu ato, nada mais é que um fantoche aliciado pela treva, a partir das vibrações sombrias que começou a abrigar em sua alma. Vai direto ao precipício sem sequer imaginar que está sendo conduzido, por certo por entidades que se interessam por sua queda, por vingança, ou para prejudicar outrem.

O que podemos dizer, é que é necessário buscar a Luz, e a Luz está na vibração do Amor Universal. À medida que vamos aprendendo a desenvolvê-lo da alma, através de esforço iluminativo, vamos percebendo que o que parecia impossível é amenizado pelo auxílio das entidades protetoras, nos mostrando pacientemente que é possível superar todas as pedras, encontrar a serenidade no silencio da alma, e aprender a cultivar a satisfação de viver com simplicidade, distanciando-se das complexidades que afastam a Paz e a Alegria pura de nossas almas. As expectativas deixam muitas feridas em nosso coração. Viver de maneira pró-ativa, não se contaminando pelo excesso de emotividade passiva ou reativa, evita muitas decepções, enrijece o próprio ser, e permite andarmos por este mar de sargaços de maneira firme, decidida e sem abaixar a cabeça às vicissitudes.

 

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ

 
Ler Mais

POVO DE ARUANDA sent you an invitation
















ibis?uid=0&iid=77bc96277a0f4d16aa99d44b3f2587a9&nid=9+20&t=1







Top corners image






























7hXLefR8_reasonably_small.png


POVO DE ARUANDA has invited you to join Twitter! loadimage







Accept invitation


Twitter helps you stay connected with what's happening right now and with the people and organizations you care about.









envelope-with-logo.png
















You can unsubscribe from these emails at anytime or find answers to your questions at Twitter Support.

Twitter, Inc. 1355 Market St., Suite 900 San Francisco, CA 94103




Ler Mais

SALVE AS DOCES ÁGUAS DE OXUM!

xum

Salve, Mamãe Oxum! Com suas águas doces e serenas, com seu olhar de candura e luminosidade, que reflete o plácido reflexo do lago onde se banha. Salve, Mãe portentosa, cuja irradiação limpa a aura de seus filhos, remove a nódoa mais profunda, com seu Amor Universal e pleno.

Salve doce e amantíssima Orixá, que do patamar elevado das vibrações perfeitas, nos traz sua Paz, sua Temperança, sua Bondade.

Salve a sua Sabedoria, que nos traz mansuetude e nos pacifica. Salve a sua Força, pois também utiliza a força das águas, cachoeira irresistível, quando a sujeira e as más vibrações ameaçam nosso caminho .

Saravá, Mamãe Oxum, nos permita a palavra certa, na hora certa. Nos afaste da intemperança e da palavra aviltante. Não permita pensamentos ou atitudes não condizentes com sua irradiação.

Oxum, que possamos absorver sua beleza no olhar, no agir e no pensar, pois esta beleza é a beleza da alma que buscamos, dos pensamentos puros, da calma verdadeira, dos movimentos singelos. Que possamos ser como suas águas, que permitem a cada dia o encontro do Sol e da Lua, que possamos impulsionar a mente no ritmo e na cadencia dos seus rios, de modo a valorizar as margens e a paisagem que nunca se repete, e desta forma valorizarmos cada dia de nossa encarnação como uma dádiva sob o céu, sob o cantos maviosos dos seus pássaros e sob os movimentos equilibrados dos seus peixes.

Que sejas nossa Mestra para merecermos as bênçãos de Zambi, que sejas a passagem para ultrapassarmos os portais entre os mundos, que seja aquela que nos dá alento para superarmos as pedras do caminho sem queixas, e que na solidão de nós mesmos apenas, deixemos as lágrimas limparem a poeira de nossos dias de labuta.

És o Orixá da prosperidade e da riqueza interior, és a manifestação do Amor puro, real, maduro, sensível e incondicional. Através de vossa Força une os seres sob uma mesma crença, trazendo também a união espiritual. Vele por nós, em todos os momentos, e lhe honraremos venerando a Natureza, pois tudo necessita de vós, em tudo a vossa água está presente, o planeta inteiro seria um deserto árido se não fosse sua existência no Universo.

Mamãe Oxum, que se encontra com Nanã, que em sua travessia, vais em direção ao mar de Iemanjá! Iabás da Umbanda! Fervorosamente aqui estamos, de joelhos, e batemos cabeça reverenciando-as, pois ao aceitarmos a Umbanda como nossa Fé, vós imediatamente vibraram fortemente em nossas auras e em nossas almas, modificando-nos e depende de nós mantermos esta receptividade para vossa divina e benéfica influência.

Que saibamos a hora de trabalhar e a hora de meditar. A hora de agir e a hora de refletir. Que tenhamos a sabedoria de estar sempre aprendendo e captando vossos ensinamentos. Ultrapassando todas as intempéries, vencendo todas as vicissitudes, tenhamos sempre a visão interior clara e limpa, para tê-las próximas a nós e percorrer jubilosamente nossa caminhada.

Obrigada, por tudo que nos ensina, e permita-nos continuar sob suas graças e bênçãos.

Salve Oxum, Salve todas as Iabás da Espiritualidade Maior!
Vejam quando puderem, meus irmãos e irmãs, este lindo tributo a Oxum e Iemanjá:

http://www.youtube.com/watch?v=Gqt6d132m_0

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ
Ler Mais

EPARREI IANSÃ!

IA1

Próximo ao seu dia onde a cultuamos, nos envia seus raios e tempestades, mostrando sua Força. Alguns querem lhe mostrar como aquela que faz os humanos se debaterem nas paixões, nas palavras e atos violentos, nas crises de ciúmes, inveja, cólera ou outros arrebatamentos.

Não acredito, Iansã, Força Poderosa, que tragas isso para nosso coração. São apenas nossas múltiplas imperfeições , e sempre queremos arranjar desculpas para nossos repetidos erros, quando alegamos estar sob forças alheias às nossas. Se agimos desta forma insensata, formoso Orixá, é porque ainda estamos no lado escuro de nossa alma, na lama de nossas incorreções, nos espinhos de nosso sofrimento trazidos pela incompreensão e ignorância. Mas acredito, sim, que não nos permite fraqueza alguma, e até nos deixa no chão para aprendermos, até sermos corajosos o suficiente para nos comprometermos a sair do servilismo, da pusilanimidade, dos pensamentos doentios, da apatia e impulsões negativas. E aí, finalmente, estaremos vibrando sintonizados contigo, transformando todas as nossas tempestades pessoais nos raios e trovões que trazem a chuva que purifica.

Creio firmemente que és a guerreira que está ao nosso lado nas horas supremas, és quem nos levanta quando não temos força para prosseguir, quando a dor e nossa própria mediocridade nos cega insuportavelmente.

Acredito que caminhas ao lado de Obaluaiê, e seus falangeiros protegem as tumbas dos chacais, dos ladrões de ectoplasma. Sei que estás no silencio entre os mundos com sua espada, gerando ventos insuperáveis contra as hostes subalternas dos dragões.

És incêndio e és brisa. És movimento constante, és superação. Mas seus filhos verdadeiros aprendem a controlar a explosão, o ímpeto, com o domínio da razão. Adquirem a clareza dos pensamentos e aprendem a sentir verdadeiramente os sentimentos mais profundos.

Eu tenho certeza que estás junto a nós, em todo o seu esplendor, quando seu magnetismo nos faz demonstrar a alegria e o amor pleno, quando percorremos os caminhos da vitória pessoal, na linha reta da evolução.

Iansã, Senhora dos Raios, que segue junto de Xangô, protegei-nos dos maus espíritos, não permita que pessoas mal intencionadas destruam a paz ao meu redor, leve para bem longe, com a força de vossos ventos o confronto inexato, a inveja, o ressentimento e a mágoa. Cubra-nos com sua coragem, proteja-nos com sua espada e nos renove a cada dia, com seu Axé e com sua Luz!

 

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ
Ler Mais

ARARIBÓIA – FALANGEIRO DE OXÓSSI

ara

Araribóia foi chefe indígena da tribo Temiminó, um grupo Tupi, que vivia numa das ilhas da baía da Guanabara. Guerreiro flecheiro, seu nome significa “Cobra Feroz” ou “Cobra das Tempestades”.“Araib”, em Tupi, significa “Tempo Mau, Tempestade, Tormenta” e “Bói” significa “Cobra”. Importante lembrar que os índios que habitavam as matas de Rio Bonito - RJ também eram temiminós. Isto me faz imaginar em quantos destes valentes guerreiros lutaram contra os franceses no início da história do Brasil-Colonia e se estaríamos aqui se a história fosse diferente... Me faz também pensar que tudo tem uma determinação maior, e que muitas vezes não sabemos ver.

Os temiminós eram mais numerosos no Espírito Santo. Na Baía de Guanabara eram minoria, contra os 70 mil índios Tamoio que aqui dominavam e se aliaram aos franceses, que em 1555 dominaram a Capitania do Rio de Janeiro. Na ocasião, o reino de Portugal enviou para o Brasil aquele que foi o terceiro governador geral da colônia, Mem de Sá. Chegando aqui, Mem de Sá se aliou a Araribóia, que se converteu ao cristianismo, tomando o nome de Martim Afonso de Souza. Esta aliança foi útil para ambos os lados, e muito pela valentia de Araribóia, houve a vitória portuguesa. Com isso, Araribóia conquistou o respeito dos portugueses e em 1568 ganhou as terras onde foi fundada a aldeia se São Lourenço, depois chamada sesmaria de Niterói.

araa

Araribóia venceu os franceses duas vezes. A primeira, em 1560, juntos com seus guerreiros flecheiros, tomando o forte de Coligni. E na segunda vez, em 1564, tornando-se herói na tomada da Fortaleza de Uruçumirim, na hoje Praia da Glória e depois destaca-se como herói na Batalha de Paranapecu, trecho da Ilha do Governador, que ia da Ponta do Galeão até as Flecheiras.

Infelizmente, anos depois, Araribóia se indispôs com o sucessor de Mem de Sá - Antônio Salema . Dizem que aconteceu o seguinte: “Frente a frente com um representante do rei, o índio cometeu uma descortesia: sentou-se sobre as pernas cruzadas. O ato foi imediatamente repreendido, mas em vez de se penitenciar, o índio decidiu confrontar a autoridade. “Não sem cólera e arrogância”, respondeu o seguinte: “Se tu souberas quão cansadas eu tenho as pernas das guerras em que servi a el-rei, não estranharás dar-lhe agora este pequeno descanso; mas já que me achas pouco cortesão, eu me vou para minha aldeia, onde nós não curamos desses pontos e não retornarei mais à tua corte”.

Como ele tinha grande prestígio, continuou comandando a sesmaria de Nictheroy, então chamada São Lourenço. Porém, durante o século XIX, com o argumento de que os índios já estavam civilizados e deveriam ser assimilados como cidadãos do Império, todas as aldeias foram extintas, e suas terras incorporadas ao patrimônio dos municípios. Foi o que aconteceu com a aldeia de São Lourenço em 1866.

Na Espiritualidade, encontrou os caminhos de Aruanda, e o Caboclo Araribóia continua lutando com seus guerreiros sob a tutela de Oxóssi, defendendo com a mesma bravura, somada aos conhecimentos que obteve do Alto, todo aquele que sofre perseguição e assédio das trevas. Com certeza, sua vida como Araribóia foi apenas mais uma entre tantas, onde muitas e muitas vezes, defendeu valorosamente um ideal e a justiça. Sua história nos mostra como vencer as adversidades, a ter firmeza, acreditar nas convicções próprias, e também ter fé em Deus.

Quando estivermos sob intenso ataque das sombras, quer através da matéria, quer seja somente a luta espiritual, peçamos a Araribóia que nos faça valer, que nos dê Força e resistência a todo Mal, para que nos mantenhamos acreditando naquilo que achamos certo, naquilo que traz o caminho correto e a caminhada digna. Que nossos pensamentos e atos sejam certeiros como sua flecha, e que não nos afastemos da Verdade, da Esperança, e da Luta em nome da Luz Maior.

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ

Fontes estudadas
Reportagem de Eduardo Bueno para a revista Época de 05/07/99
Ler Mais

PARABÉNS BRASIL! PARABÉNS, UMBANDA!


um1


O Dia Nacional da UMBANDA poderia ser em um 13 de Maio, consagrado aos Pretos Velhos, ou 22 de Novembro, dia de Araribóia, mas foi 15 de Novembro a data escolhida.

Pois foi quando, em 1908, manifestou-se plenamente em terra, o Caboclo das Sete Encruzilhadas, trazendo a mensagem que nascia uma nova religião, cujos caminhos haviam sido longa e àrduamente traçados na Espiritualidade, e que a partir dali iria orientar, confortar, curar, mudar a vida dos homens, convocando-o ao trabalho na seara espiritual com a verdadeira Caridade e o Verdadeiro Amor no Coração.

Todo umbandista sabe que em 15 de Novembro, Zélio, doente, foi levado à Federação Espírita de Niterói, onde manifestou-se o Caboclo das Sete Encruzilhadas, ainda sem revelar seu nome, dizendo que no dia seguinte estaria trazendo uma nova religião.

São as palavras do Caboclo das Sete Encruzilhadas:

"Se julgam atrasados os espíritos de pretos e índios, devo dizer que amanhã (16 de novembro) estarei na casa de meu aparelho, para dar início a um culto em que estes irmãos poderão dar suas mensagens e, assim, cumprir missão que o Plano Espiritual lhes confiou. Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos, encarnados e desencarnados. E se querem saber meu nome, que seja este: Caboclo das Sete Encruzilhadas, porque para mim não haverá caminhos fechados. O vidente retrucou: "Julga o irmão que alguém irá assistir a seu culto" ? perguntou com ironia. E o espírito já identificado disse: "cada colina de Niterói atuará como porta-voz, anunciando o culto que amanhã iniciarei".

Quinze de Novembro, também comemora a data do início de nossa República. Para muitos pode ser apenas mais um feriado prolongado, mas é necessário uma reflexão que a República teve seu berço na Grécia antiga, e seu significado nos dias de hoje ensina a LIBERDADE.

Será que todos sabem o que é REPÚBLICA, o que é LIBERDADE? Antes de tudo, a garantia de um ser humano viver dignamente.

Há uma lógica que devemos buscar, temos de ter olhos para ver em cada passo e em cada detalhe que a Espiritualidade nos traz. A Umbanda concretiza que todos somos iguais perante Zambi, e quem vem nos ajudar, vem nas vestes espirituais dos mais discriminados, os pretos velhos, o caboclos, seguidos da pureza das crianças. A estes agregaram-se os boiadeiros, os marinheiros, os ciganos o povo do Oriente, os Exus de Lei e coroados, e muitos outros.

À medida que Portais foram se abrindo, Orixás muito antigos foram se manifestando. A Umbanda que estudamos e conhecemos, trabalha no Astral com as Sete Linhas, e sabemos que verdade alguma é absoluta, nem a nossa, nem a de ninguém.

um

Hoje é um dia para festejarmos a nossa República. Há repúblicas socialistas, comunistas, democratas. Precisam de um Presidente ou Parlamento e uma Constituição, que deveria ser conhecida e adotada por todos. Nós, brasileiros, estamos vivendo e respirando uma Democracia como nunca antes vista, e devemos estar felizes por isso.
A República no Brasil hoje é Federativa, dividida nos diferentes Estados, assim como existe nossa abençoada diversidade. Onde nossa Constituição Federal no artigo 5º, VI, assegura ser inviolável a LIBERDADE de ciência e consciência, assegurando ao LIVRE exercício da Lei, a proteção aos locais de culto e liturgia.

Somos ainda um país LAICO, onde para garantir a Liberdade de todos e a Liberdade de cada um, a Laicidade distingue e separa o Domínio Público , onde se exerce a Cidadania, e o Domínio Privado, onde se exercem as liberdades individuais (de pensamento, de consciência , de convicção) e onde coexistem as diferenças (biológicas, sociais, culturais). Pertencendo a todos, o espaço público é indivisível, e nenhum cidadão ou grupo de cidadãos deve impor as suas convicções aos outros.

Ao mesmo tempo, no Estado (Governo) Laico, proíbe-se intervir nas formas de organização coletivas (partidos, igrejas, associações, etc.), as quais qualquer cidadão pode aderir e que relevam mo direito privado.

A casa física, em Neves, São Gonçalo, residência do médium Zélio de Moraes, a qual foi palco único no mundo, de um dos maiores avanços da Humanidade, apagou-se do cenário recentemente. Não sobreviveu para comemorar os 105 (cento e cinco) anos de existência.

Para quem percebe as raízes plantadas nos corações e os laços com as origens da Umbanda, permanece sintonizado no caminho luminoso até Aruanda, caminho este iluminado pelos constantes e inúmeros atos de Amor e Caridade que seus emissários incansavelmente irradiam. Estes percebem que a Anunciação do Caboclo das Sete Encruzilhadas bastou, como bastou a vinda única do Mestre Jesus há milênios atrás.

Muitos ficam sempre evocando e sonhando com a vinda de mais e mais Mestres e Avatares, a volta do Mestre Jesus, e outros mestres. Quantos mais seriam necessários para enfim, estes que esperam, façam nascer a FÉ em seus corações?

O Mestre Jesus era severo com os ímpios e muito chorou porque não acreditavam ou entendiam na Sua Verdade, que é a Verdade Cósmica, Universal. Seus ensinamentos são os mesmos que muitos antes e depois DELE, os que se iluminaram, proclamavam. O que é preciso mais ???!!!!

A Umbanda não é Religião apenas, é CAMINHO. E um Caminho Luminoso, que não precisa de ostentação ou afirmação. Ela lá está, para os que têm olhos de ver, coragem para largar as vestes velhas e segui-la.

O Caboclo das Sete Encruzilhadas foi um emissário, tal qual os Anjos das antigas escrituras. Muito de acordo com nossas origens, veio como um nativo de nossa Pátria. Ele sabia muito bem o que estava fazendo, como tudo na Espiritualidade. O importante está muito além das palavras. Ele estava ciente do momento certo, das palavras certas, das pessoas que ali estavam, como até hoje é assim com as coisas do Astral Maior.

SALVE A LUZ DIVINA!
SALVE O CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS!
SALVE TODAS AS LINHAS DA UMBANDA!
SALVE ZÉLIO DE MORAES!
SALVE NOSSO MESTRE JESUS!
SALVE ZAMBI!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

IBEJADA BENDITA

CRI

Ibejada bendita, que chega fazendo bagunça, espalhando os fluidos ruins e doentios que carregamos de nossas vidas sofridas, nos carregando para dançar de roda e girando para um vórtice de limpeza....

Crianças protegidas de Oxalá, espíritos puros que tem a capacidade como poucos de desmanchar as demandas e as feitiçarias, as maldades de quem não sabe da Lei de Causa e efeito.

Espíritos abençoados que utilizam a energia do açúcar e das frutas para adoçar as nossa vidas, tirar o fel e o azedume, tirar o véu e a sombra, clareando tudo ao redor com suas gargalhadas cristalinas.

Na gira de Ibejada desfilam as ciganinhas, os caboclinhos, da mata, das cachoeiras e das praias, percorrendo todas as linhas, trazendo a força de todos os Orixás. Percorrendo o terreiro em abraços, cantigas, corridas e danças, com seu jeito brejeiro, com sua vivacidade e energia, tudo vibra, tudo o que não é bom se desfaz e só positividade e pensamentos bons sobrevém.

É interessante buscar o significado de tudo. A cana de açúcar tem a capacidade de alinhamento energético do corpo físico, emocional e mental. Ancora o Amor através da criação de um canal entre o Céu e a Terra. Ajuda na libertação de processos de dependência e obsessão, muitas vezes cármicos. Desta forma, as crianças espirituais que trabalham na Umbanda usam o açúcar da cana para energizar os consulentes que vêm, fatigados, desvitalizados, com seus corpos astrais desalinhados, reestruturando-os e fortalecendo-os. Assim como os caboclos, pretos velhos e exus usam o álcool com fins semelhantes em situações de demandas, desobsessão, quebrando vínculos energéticos anômalos, perigosos, limpando o corpo astral dos filhos de banda.

ci2

É uma pena que hoje em dia existam correntes adversárias que acreditam e fazem acreditar que os doces que os umbandistas e católicos doam é coisa maléfica, com pragas e perdições. Durante séculos nada aconteceu com as crianças que ganhavam doces, e agora querem misturar o conteúdo de filmes de horror e energias trevosas a algo tão bonito e puro, compurscando a nobreza e a santidade de Cosme e Damião, que são os padroeiros das crianças espirituais.

E ao lembrarmo-nos de Cosme e Damião, vamos pedir a estes mestres ascencionados que nos curem de toda as enfermidades físicas e espirituais, nos fortalecendo para nossa caminhada neste mundo de provas. Que possamos utilizar a mesma doçura para superar as dificuldades, diluir as dores e aprender a dividir e compartilhar, esquecendo toda e qualquer mágoa que possa nos desequilibrar e enfermar novamente. Que estes Mestres Curadores nos tragam Paz, Serenidade, poder se superação, e que sempre consigamos caminhar de forma simples e pura como as crianças, perdoando, esquecendo e sabendo brincar com nossas dificuldades, imperfeições, mas buscando superá-las sempre. Sabemos que por trás da fala enrolada e das brincadeiras de uma criança espiritual, está um Sábio, uma entidade que muito aprendeu, que está sob a Proteção Maior e que tem o Poder de superar as Trevas, e este é outorgado pelas Falanges Celestiais.

Nosso Respeito, nosso Amor, nossa Alegria por ter a benção de encontrar e conversar com esta Ibejada maravilhosa.

 

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ
Ler Mais

AS MOÇAS

AS MOÇAS

[caption id="attachment_7935" align="aligncenter" width="842"]pg Imagem retirada do Google Imagens[/caption]

Esta é uma história de trabalho conjunto de Pombogiras de diferentes falanges. Dizem que Dona Mulambo e Dona Maria Padilha não se dão, mas quando atuam espíritos de Luz, não há quizilas. Quando o objetivo é o trabalho de Amor e Auxílio aos que sofrem, estas entidades se dão as mãos, unem forças para apaziguar as intempéries provocadas pelas trevas tenebrosas.

Nossa história se inicia em uma cidadezinha qualquer de nosso imenso Brasil. Vamos dar o nome fictício de Rosangela para começar. Rosangela era uma moça simples, que com dificuldade e esforço chegou à idade adulta, com um trabalho digno e uma vida pacata. Sua vida nunca lhe cobrava muito e assim ela vivia em torno de sua família, um pouco desorganizada, e devido a isso, cresceu sem maiores atenções.

Seus amigos e seu noivo eram a razão maior de seus dias. Até que a perfídia surgiu inopinadamente. Um daqueles amigos, deleitando-se com a má notícia, correu a lhe contar que o noivo a traía. Impulsivamente, Rosângela foi ao local de trabalho da rival e a agrediu violentamente, não querendo sequer escutar qualquer desculpa do noivo faltoso.

Para ela, seu mundo desabou em horas, perdeu seu centro, seu esteio e mesmo seu equilíbrio mental. Ela sequer sonhava, no entanto, que havia chegado o momento de seu resgate espiritual, de erros cometidos em distante passado, quando cometera atrocidades contra os espíritos do noivo e daquela que agora lhe causava tanto sofrimento. Os algozes, fruto do ódio secular ali estavam cobrando, e diante do desequilíbrio acharam terreno fácil para sua vingança.

Rosangela passou a ter alucinações, voltando a eras antigas, achando que se vestia de sedas e bordados, ostentava jóias e adereços de ouro, sobre a pele clara como a neve, cabelos claros como o trigo e os olhos verdes como a esmeralda.

Porém, na verdade, ela se despia e seus trapos eram confundidos com as vestes ricas em sua ilusão. Ao notar os olhares das pessoas, parte de seu espírito adoentado se envaidecia como na época da corte, quando atraía todos os olhares, mas ao escutar as palavras de baixo calão e intenções maliciosas, a porção de sua mente ainda não colapsada lhe tirava a segurança e ela se enchia de vergonha e tristeza.

Oscilando entre o embotamento e as atitudes maníacas, passou a viver suas horas nebulosas neste limbo entre a loucura e a realidade fracassada, cada vez piorava mais.

Certo dia acabou chegando a um local à beira da estrada, e ali, ao pedir algum alimento, mesmo escutando chacotas por sua aparência, notou que havia pessoas boas e passou a ali voltar esporadicamente.

Não sabia, nem sequer sonhava, que para ali tinha sido conduzida por espíritos amigos, para que tivesse oportunidade de um descanso dos incessantes obsessores.

Foi ali que as três moças do Astral se encontraram. Dona Mulambo do cemitério, Dona Maira Padilha das Almas e Ciganinha das Estradas. Uniram-se, com a autorização da Espiritualidade Superior e afugentaram grande parte dos espíritos obsessores, pérfidos e galhofeiros, dando certo alento e alívio à enferma da alma.

As três maravilhosas entidades, cada uma com sua natureza, Dona Mulambo do Cemitério com a força aurida de seu Omulu, lhe aplicou fluidos benéficos para atenuar os sintomas de sua doença mental. Doma Maria Padilha das Almas, focou em seu coração, para atenuar seu sofrimento moral de ter perdido a convivência com aquele que tanto havia amado. E a Ciganinha da Estrada tomou-lhe a mão, para que ela reencontrasse o caminho de casa, e durante o trajeto, as três forças conjuntas estariam agindo como um bálsamo para seu resgate.

Nada posso afirmar se Rosangela recuperou a sanidade, voltou para casa e conseguiu recomeçar sua vida sob novos prismas, mas esta história foi sobretudo o relato do trabalho constante e incansável destes espíritos luminosos, que optaram por ficar entre nós, estas amigas, companheiras, as Pombogiras da Umbanda, que cada vez mais se aformoseiam e nos ensinam pelas boas obras, por seu Amor Incondicional.

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

TRIBUTO AOS NÁUFRAGOS DE LAMPEDUSA

rose
Não resta a dúvida que estamos num momento no planeta onde há muito sofrimento e ranger de dentes. Sem querer fazer apologias apocalípticas, prefiro pensar que temos maior acesso às notícias do mundo.

Gostaria que estas notícias fossem mais frequentemente de alegrias e surpresas boas, mas vejo uma economia mundial periclitante, um descaso ambiental enorme, apesar dos esforços de muitos para novas soluções sustentáveis.

Mas o pior cenário é mesmo o ser humano, quando temos notícia que há mercadores de vidas, estes coiotes como ocorrem na fronteira do México com os Estados Unidos, que cobram caríssimo para a entrada ilegal daqueles que sonham achar um horizonte perdido paradisíaco.

Lampedusa fica ao sul da Itália, e tem sido cenário constante de tristezas, pelo imenso número de naufrágios de barcos de refugiados da áfrica, lapidada por doenças, guerras, fome e miséria. São chamados de navios negreiros e não ficam aquém daqueles que outrora carregavam os irmãos africanos para sua terrível sina de escravidão. Além das parcas condições sanitárias, invariavelmente estas embarcações não conseguem chegar intactas às costas de Lampedusa, e com o passar dos anos milhares afundaram naquela região do Mediterrâneo. Os abrigos estão lotados, as autoridades locais não sabem mais o que fazer com os mortos, e com os vivos.

O problema dos que sobrevivem, é achar a dificuldade de aceitação e regularização de sua condição de refugiados. A Europa alega que já tem seus problemas e é verdade. Mas se formos ver pelo prisma espiritual, não será a hora dos europeus resgatarem suas dívidas de lutas e conquistas, feitas a ferro e sangue durante milhares de anos? Não seria o momento de reflexão de ver que é a hora de resgatar suas dívidas morais com a humanidade?

O Brasil não fica atrás, pois foi o berço de belicosidades em seus primeiros dias de descobrimento, onde os índios foram regularmente massacrados, a medida que as estradas e bandeiras avançavam território adentro, na busca de esmeraldas, diamantes, ouro. De início, europeus, depois foram os filhos da terra que se apossaram de tudo, e já acumulando suas dívidas cármicas com o comércio insensato dos escravos.

Acreditamos em vidas passadas, acreditamos que há uma Lei Maior de Causa e Efeito, e todas as dificuldades ocorrem porque não conseguimos ver, lembrar ou admitir que no passado muitas transgressões foram cometidas. E é sempre tempo de recomeçar, aproveitando para estender a mão, não praguejar pelas dificuldades, e ter consciência que a partir de agora, vivendo dentro das regras morais poderemos superar nossas faltas, sair da condição de pedintes espirituais para guerreiros do Bem no combate das Sombras.

Temos no Brasil bons exemplos. Em geral os imigrantes são bem recebidos. Os numerosos refugiados do Haiti estão sendo absorvidos em frentes de trabalho em várias regiões do Brasil. E agora o governo federal declarou que receberá refugiados de outro local que vem sofrendo barbaramente que é a Síria.

Por isso tudo, vamos elevar nossos pensamentos em uma oração por estes que tanto tem sofrido, transformando nossas atribulações diárias em migalhas. Vamos agradecer ao protetor espiritual de nosso país, Ismael, pela oportunidade de aqui estarmos, sempre nas lutas, mas em condições infinitamente melhores que nossos irmãos de outras terras. Quem acreditar, agradeça à fraternidade Branca, de Sábios do Oriente, que estão no Astral esclarecendo silenciosamente os dirigentes do planeta, e por pior que pareça, com certeza, está melhor , pois grande é a pressão trevosa para que nossa terra não evolua como é o seu destino.

Vamos reverenciar todos os dias nossos Orixás, as Forças Poderosas que regem os Tronos Sagrados, pedindo Proteção, Elucidação, Força, Equilíbrio e Fé, para superar nossas batalhas pessoais e conseguirmos ainda dar as mãos aqueles que se encontram desvalidos.

Lembro-me neste momento apenas de duas frases que podem ser nossas diretrizes diárias:

Amar ao próximo como a si mesmo (Jesus Cristo)

Fora da caridade não há salvação (Alan Kardec)

Frases curtas, mas de enorme reverberação em nossos espíritos, que devem ser profundamente examinadas em todos os seus aspectos, pois tenham a certeza, todos os dias nos é desafiado para fugir destes preceitos. Da mesma forma, aqueles que nos regem também nos ensinam que ser bom, não é dobrar a cerviz, ser manso não é levar chibatadas injustas. Há que se pensar muito para se chegar às respostas e aos caminhos onde nossas ações não contradigam nossos pensamentos. Se conseguirmos mantê-los firmes em nossa alma, teremos então, vencido.

 

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ
Ler Mais

CABOCLOS DE COURO - AMIGOS DE OURO

pa1Espíritos que em encarnação recente viveram no agreste, agregaram-se às fileiras da Luz Divina, essa Umbanda que vela pela população brasileira, e no astral se irmana à Espiritualidade Superior que envolve todo o Planeta.

Espíritos que foram fortalecidos e burilados pelas condições difíceis, pelas dificuldades da vida, que encontravam na caatinga sua alegria e sustento.

Boiadeiros, Mineiros, Cangaceiros, cujas vidas eram ligadas aos animais e à natureza, ao vigor e à necessidade. Que viveram conhecendo o valor das pequenas coisas, do por do sol e do nascer do sol, do arroio pequeno com a água pouca, as paixões fartas e a alma imensa, aderida ao céu e às estrelas.

Os Boiadeiros que foram do cangaço, que lutaram pela liberdade, que sabiam o valor do trabalho, da união, pois sem união não se sobrevive na paisagem inóspita. Que aprenderam o significado de justiça e do que realmente vale a pena, e que na espiritualidade estas qualidades foram refinadas para seu uso no Bem, e que hoje escoltam aquele que moureja nesta Terra Fria, que quer manter os valores da moral e da verdade.

O Boiadeiro de Umbanda anda sob as ordens do Senhor Ogum, trabalha junto aos caboclos de pena, e caminham entre os pretos velhos contra as mais difíceis demandas. Trazem em seu lema o destemor e a Fé, inquebrantável Fé na Justiça Divina, e assim seguem no compromisso de ajudar os filhos da Terra que ainda estão lutando contra as más tendências, contra as injustiças e intempéries morais.

Boiadeiro, às vezes esquecido, mas incansável em proteger-nos das demandas, das investidas do mal, intemeratos, persistentes, sempre presentes, cordatos e vigilantes, quando nem mesmo imaginamos que estamos sob ataque espiritual.pa2

Junto dos boiadeiros e cangaceiros, há também ajudando, quase desapercebidas, as boiadeiras e cangaceiras, da mesma linha, e com a mesma Força, que através do trabalho árduo vêm se burilando, porque sabem que se espera se perfeito para trabalhar nas caravanas do Bem, da Luz, em nome de Oxalá.

Quando em sofrimento, quando a alma estiver angustiada, quando a vida estiver pesada, peça aos Boiadeiros, trabalhadores de todas as horas, para que façam valer sua Força e a sua Luz, orientando para os caminhos certos, desde que se compreendam os valores morais, os limites de certo e errado, a dimensão da justiça, a Lei de Retorno, do Equilíbrio, do Bem, conscientes da Luz e sombras que nos cercam, e eles sempre nortearão por caminhos que já trilharam e hoje adquiriram a Sabedoria, sendo generosos e pródigos em nos aconselhar.

Saravá os Boiadeiros da Umbanda! Jetruá Boiadeiro!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

OXUMARÉ

dan

Oxumaré é cobra e é arco-iris. É representado pelo arco-íris que, segundo algumas lendas é a ponte que possibilita que as águas de Oxum sejam levadas ao castelo no céu de Xangô. Por essa lenda, é atribuído a Oxumaré o poder de regular as chuvas e as secas, já que, enquanto o arco-íris brilha, não pode chover. Ao mesmo tempo, a própria existência do arco-íris é a água está sendo levada para os céus em forma de vapor, onde então se aglutinará em forma de nuvem, passará por nova transformação química recuperando o estado líquido e voltará á terra sob essa forma, recomeçando tudo de novo: a evaporação da água, novas nuvens, novas chuvas, etc. Sua essência é o movimento, a fertilidade, a continuidade da vida. A comunicação entre o céu e a terra é garantida por Oxumaré.

É também a grande cobra que morde a cauda, representando a continuidade do movimento e o ciclo vital. Isso gera um movimento moto contínuo, pois, enquanto não largar o próprio rabo, não parará de girar, sem controle. Esse movimento representa a rotação da Terra, seu translado em torno do Sol, sempre repetitivo. Todos os movimentos dos planetas e astros do universo, regulados pela força da gravidade e por princípios que fazem esses processos parecerem imutáveis, eternos, ou pelo menos muito duradouros se comparados com o tempo de vida médio da criatura humana sobre a terra, não só em termos de espécie, mas principalmente em termos da existência de uma só pessoa.

Segundo a lenda, Oxumaré, é o filho mais novo e preferido de Nanã, irmão de Obaluaiê.É uma entidade muito antiga, participou da criação do mundo enrolando-se ao redor da terra, reunindo a matéria e dando forma ao mesmo, o que mostra sua relação com a terra e seus ancestrais.Rastejando pelo mundo, desenhou seus vales e rios.

Assegura a comunicação entre o mundo sobrenatural, os antepassados e os homens e por isso é associado ao cordão umbilical. Alguns consideram que é positivo (masculino) durante seis meses, negativo(feminino) outros seis meses; Mas o fato de ter características femininas e masculinas não significa que os filhos de Oxumaré serão bissexuais. Esta dualidade apenas mostra que é Oxumaré uma das forças do panteão dos Orixás que deve ser mais cuidadosamente estudada, refletida e compreendida.

É um mensageiro e criador, associado à mudanças e à gestação.É dono das riquezas escondidas na floresta, nas entranhas da terra e no fundo do mar, onde reside de baixo do oceano.É o orixá da riqueza, material e espiritual, está associado ao ciclo vital, símbolo de continuidade da vida.

Oxumaré irradia as sete cores que caracterizam as setes irradiações divinas que dão origem às Sete Linhas de Umbanda.
E ele atua nas sete irradiações como elemento renovador. Oxumaré é a renovação do amor na vida dos seres. E onde o amor cedeu lugar à paixão, ou foi substituído pelo ciúme, então cessa a irradiação de Oxum e inicia-se a dele, que é diluidora tanto da paixão como do ciúme. Ele dilui a religiosidade já estabelecida na mente de um ser e pode conduzi-lo, emocionalmente, a outra religião, cuja doutrina o auxiliará a evoluir no caminho reto.

É sincretizado com São Bartolomeu, cultuado em 24 de agosto, e segundo se consta, foi um dos doze apóstolos, cujo nome verdadeiro era Natanael e que seus seguidores consideram que ele comanda os tufões, os furacões e todos os tipos de tempestades.

Alex de Oxossi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

SILENCIO!!!!!!!!!!

ob
Este é o significado de “ Atotô Obaluaiê”. E assim, fazemos silencio em nossos corações para pedir ao Pai Obaluaiê que nos preserve das dores físicas, mentais, morais e espirituais.

Com seu cetro de palha do dendezeiro, varra para bem longe as doenças físicas , as impurezas e os males sobrenaturais.

Nos ajude em nosso renascimento, na transformação de nossas mentes, na transmutação de nossas energias e na regeneração de nossos espíritos.

Obaluaiê, que rege a linha dos Pretos-Velhos, que possamos ser dignos de receber suas lições de Sabedoria e Paciência, de Tolerância e Renúncia, de Bondade e Generosidade.

Grande Orixá Obaluaiê, lhe pedimos humildemente que nos sustente em nosso caminhar evolutivo, e ao subirmos degrau a degrau , possamos adquirir com sua ajuda, o despertamento para entendermos o valor do desapego, obtermos mais perseverança, e desenvolvermos a humildade verdadeira.

Senhor das Passagens, nos ajude em todos os momentos, nos acompanhe pela nossa jornada terrena para que possamos ser dignos de honrar a Luz Divina em nosso momento supremo. Que possamos fazer de cada dia um altar de reverência à Energia Criadora Universal, à Zambi Maior, compreendendo a importância de nossos passos, nossas realizações, nossos pensamentos, nossas intenções.

Que possamos ser tão cristalinos que não tenhamos vergonha nem medo de procurá-lo, pedindo com a alma pura para nos acompanhar em nossas transformações espirituais assim como em nossa caminhada terrena diária.

Diante de ti e do seu poder, reconhecemos nossa fragilidade, refletimos na nossa finitude, e aprendemos a valorizar a vida, aqueles que andam conosco, o nosso aparelho físico, a nossa saúde e força de trabalho. Aprendemos a não lamuriar, nem desistir de nossas metas nem de tudo aquilo que faça nossas vidas valerem a pena, dentro da retidão e firmeza. Contigo ao nosso lado, seremos perseverantes, sérios, atuantes, fortalecidos pelos elementos terra e água, nos construindo e reconstruindo sempre.

Grande Orixá Curador e Transformador! Cura nossas feridas cármicas, dando-nos Força e Proteção para superarmos nossas mazelas, e nos transformarmos em seres humanos melhores. Não nos deixe cair, não nos permita estagnar em lodaçais de energia maléfica. Nos ajude a superar nossas imperfeições e moldar um novo Ser dentro de nós, melhores, e ainda nesta existência.

Que se faça o grande Silencio do que se cria e transforma. Atotô, Pai Obaluaiê!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

NOSSA MÃE IEMANJÁ


iemanja

CURTA nossa Página no Facebook (cilque)


Na força doce de Mãe Iemanjá, devemos mergulhar com frequência em nós mesmos, buscando a serenidade verdadeira, sabendo preencher os vácuos com a plenitude do amor ao Universo que nos acolhe dia após dia nesta vivência fragmentada.

Que os dias tenham sentido, que cada um deles valha a pena, guardando-se apenas o que se obteve de bom, as palavras, os atos, os pensamentos de positividade.

Tudo o que não for bom, toda reverberação dolorosa deve ser transformada em serenidade, em Força, em auto segurança.

Estar bem, emanar a Paz a todo momento, isto é o principal, raiz de todas as coisas boas que possam acontecer.

Poderosa e vasta como as águas oceânicas, assim é Iemanjá, dona de nossas cabeças, a grande mãe de todos, a energia feminina que gera e cuida de seus filhos, protegendo os lares e as famílias.

Iemanjá amada, quando nos aproximamos do mar e nos embalamos no ritmo de suas ondas, encontramos a Paz, descobrimos sentimentos de tolerância, aceitação e carinho.

Proteja a todos nós, que ainda somos como crianças imaturas, muitas vezes pelejando em águas revoltas e perigosas, sem nos apercebermos. Salva-nos de nos afogarmos nos sentimentos menos bons, dissolva nossos miasmas pesados, nossa descrença e desolação. Ilumina com seu manto estrelado nossas trilhas sinuosas, para que possamos nos desviar dos abismos e encontrarmos na sua Força Maternal o alento, as respostas certas, a vitalidade que necessitamos para prosseguir no rumo certo.

Através da força de Iemanjá, buscamos a dose certa de coerência com nossos familiares, de modo a elevar os pensamentos e uni-los para o bem de todos. E que da mesma maneira possamos ir em direção a ações uníssonas, em direção aos nossos amigos, colegas de trabalho, irmãos de santo.

Que Iemanjá esteja sempre em nossas vidas, nas decisões, nos momentos de angústias e preocupações pelos entes queridos, pois Sua Força e sua Luz refletem-se sobre nós, sobre as transmutações de nossos pensamentos, em boas resoluções e atitudes permanentes de solidariedade e união.

Iemanjá é onda do mar, o maremoto, a praia em ressaca, a marola. Controla a maré das nossas vidas, assim como do oceano físico. Força Sagrada, mantenedora da água da vida, do sal da existência, nos fornecendo alimento para nossas almas, como nos provê com os peixes do mar.

Grande é o valor de Iemanjá, pois acolhe a todos que lhe pedem ajuda, sem julgar nem minimizar a dor de ninguém. É a Deusa da compaixão, do perdão, do amor incondicional.

Estrela luminosa, simbolizando a Esperança, vele por nós, em seu trono de Orixá! Que possamos sempre sentir sua presença da mansuetude do Sol da manhã até a doce despedida do luar no próximo amanhecer, embalados por suas ondas e vibrações transcendentais.

Odoya´, adociaba, Salve sereia, Salve a Sua Luz!

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

A MAGIA DE NANÃ

 

nan
Na calada da manhã, as brumas envolvendo o silencioso murmurar do arroio profundo, entidades moldam o barro, e cantam melodias que se espalham por toda parte, enquanto os animais da mata se aproximam e participam do ritual mágico.

São espíritos que transformam as vibrações que chegam através das preces, carreando os sofrimentos, anseios, tristezas, o cansaço das lutas diárias, o desassossego, ou estão sob o ataque de sombras sorrateiras, da maldade, da falta de luz.

As entidades oram, e vão moldando, vão usando a terra para descarregar, neutralizar, transformar, transmutar cada pensamento estremecido em serenidade, resignação, esclarecimento. Cada um, envolvido por estas forças, compreende a necessidade de mudança, de maior estabilidade interior, percebe de alguma forma as ondulações energéticas que vão lhes restituindo a solidez dos objetivos, as certezas do caminho, se esclarece que faz parte de uma vasta rede, de ancestrais ligações reencarnatórias.

Para a terra, tudo retorna, a terra neutraliza todas as cargas energéticas, e sob a tutela da falange de Nanã, é moldada com a água que tudo conduz, devolvendo a aquele que ora, o pensamento vitalizado e esclarecedor.
A oração é o elemento alquímico desta magia transformadora. É quem ativa a comunicação entre o mundo material e espiritual, é quem transcreve os anseios do encarnado e que reverbera de volta através da intuição esclarecedora, o silêncio necessário para a compreensão, que obtém as forças para prosseguir e continuar sua caminhada.

Vamos então, levar a quantos possamos, esta mensagem para que utilizem a oração para evocar os elementos mágicos da Natureza, e nesse momento, vamos reverenciar Nanã, pedindo-lhe a retificação de nossos caminhos através da transmutação da terra e da água. Vamos também pedir para todos, o Amor Fraternal, a Magia da Paz, da Humildade, da Harmonia.

Que a água se condense em partículas de névoa envolvendo nossos lares, purificando todos os cantos conduzindo a energia vibratória que limpa e dilui a imantação de impurezas.

Que a terra nos traga a solidez, descarregue tudo o que não for bom, anule as forças deletérias, aliviando os filhos do Planeta de nossas cargas, seja ao manancial onde possamos obter a Força Vital e recrie sempre novas construções em nossas vidas.

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

EM BUSCA DO BEM ESTAR

[caption id="attachment_7911" align="aligncenter" width="819"]SAM_2130 Foto: Alex
Local: Juturnaíba - SJ[/caption]

O ser humano de hoje, vive uma realidade inédita. A tecnologia vem avançando a olhos vistos, em todos os setores, telecomunicações, invenções mecânicas, eletrônicas, avanços na área de saúde e genética, inovações nas áreas dos alimentos, vestuário, transporte....O mundo todo interligado numa rede envolvendo negócios, notícias, tendências....

Tudo concorre para um conforto que nunca existiu antes, o progresso objetivando simplificar a vida de todos. No entanto, algo muito estranho vem ocorrendo. Nunca houve índices tão altos de suicídio, de dependência química, alcoolismo, síndrome do pânico, insônia, hiperatividade, hipertensão, doenças cardíacas, obesidade ou anorexia, alterações hormonais....

Embora a melhoria socioeconômica dos últimos anos, mantém-se em alguns a tendência à marginalidade, que descortina distúrbios ligados à baixa autoestima, desesperança, falta de sonhos próprios, projetos pessoais....

O que está acontecendo?

Na verdade, denota-se uma ausência de Bem Estar. Sem ele não há saúde, física ou mental, não há brilho no olhar, não há taquicardias de emoção, não há vontade de modificar a própria realidade, não se está, não se é.

E por que não se tem Bem Estar?

Porque na maioria das vezes, perdeu-se a capacidade de fazer escolhas, de perceber o que é Bom e o que é Mal para si, porque houve o esquecimento de como comunicar-se e mesmo como olhar o outro. Porque não se sabe a diferença entre desejos e necessidades, ou de limites entre si e ao redor. Porque se chama paixão de amor, e há um ufanismo por poder descartar-se tudo (e todos). Porque perdeu-se a humildade, e ao mesmo tempo impera a menosvalia. Porque tudo parece risível, supérfluo e enganosamente melífluo. Porque se tem a sensação que sempre algo vai acontecer, e em geral cada um se perde ou nas folhas amareladas de ontem, ou no desfiladeiro desconhecido do amanhã, esquecendo-se de apertar firme a quente e consoladora mão do hoje. Na falsa ilusão temporal, o agora se esvai, o olhar se afasta, o momento se esfumaça na palavra não dita, no sentimento não manifesto, e a roda do tempo segue.......

Bem estar, é antes de tudo, conhecer-se. Já nas antiguidade dizia Sócrates: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses.” E conhecer-se é ser absolutamente sincero consigo, e através da meditação e introspecção, observar os próprios erros, os excessos, as pusilanimidades, as falhas de caráter, os sentimentos apagados. É mover-se para dentro, objetivando sua reforma diante o mundo. É encontrar dentro de si os remédios para estar bem novamente consigo mesmo e todos, e entre estes remédios estão a solidariedade, a tolerância, a ausência de preconceitos, o exercício diário do raciocínio moral na observação do certo e errado. Isto o levará a querer aumentar o conhecimento, que seja social, político, científico, irá aumentar a vontade de compartilhar . Também verá aumentada a sua Fé, pois não há como não acreditar num Poder Superior, e a esta Fé estará vinculada ainda maior Bem Estar.

E assim, reencontrado o caminho, tem-se a certeza que é preciso, ao ouvir o clamor dos ecos vazios, construir pontes, mas sobretudo manter a consciência viva de que, continuamente, é necessário reconstruir-se.

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

MEU PAI XANGÔ

xg

Salve a Sua Força, Salve a Sua manifestação de Equilíbrio, Justiça e Saber!

Diante de sua pedreira estamos aqui, ajoelhados em nome de nossa devoção, pedindo para nos dar o verdadeiro senso de ordem e dever, que possamos todos, nessa enorme nação, fazer juz à palavra JUSTIÇA, podendo assimilar suas qualidades de Honestidade, Retidão, Seriedade , Bom Senso e Plenitude.

Que não nos ergamos insensatamente em seu nome, por causas vãs, ou nos endividemos por atos impensados me desequilibrados.

Com as forças conjuntas das águas, sobremaneira a Força de Iansã, que dentro de cada um de nós, nesta terra de provas e expiações, nestes caminhos duros que cada um de nós temos de trilhar, encontremos alento, encontremos resposta, encontremos o sentido de a passo e cada resolução.

Xangô, sincretizado em São João Batista, que peregrinou solitário pelos desertos, nos dê força para também em nossa peregrinação terrena, sermos firmes, dignos, sabermos superar nossas faltas sem tombar.

Xangô, que se desdobra na vibração do Oriente, envie até nós os médicos do Astral Superior, para curar nossas feridas físicas e espirituais, nos mantendo em harmonia para poder merecer suas bênçãos.

Que as vibrações ascensionadas das Falanges do Oriente sempre estejam robustecendo nossa capacidade de amar,mantendo-os firmes em todas as circunstâncias, através da compreensão, da esperança e da Fé.

Xangô, também sincretizado como dono dos raios, controle nossas tempestades interiores, que a sua manifestação seja sempre para o saneamento da atmosfera espiritual ao nosso redor, renovando através das Forças da Natureza, uma ambiência saudável e firme,.

Como São Jerônimo e São Pedro, nos proteja em nossas lutas pessoais, nossos dilemas, aprimorando nossas arestas, nossa precária estabilidade, nos dando firmeza e resistência, a organização do discernimento, a beleza interior de suas pedreiras multicores, que sob a Luz do Sol rebrilham e sob a claridade da Lua refletem a beleza ancestral das cavernas esquecidas dos antepassados e seus rituais.

Recorremos a vós, Pai Xangô, para que haja resolução através da magia de suas vibrações fluídicas, o encaminhamento acurado para nosso país, nessa hora conturbada com justas admoestações de um povo subjugado por erros de quem tem o poder transitório sobre nossa pátria terrena.

Batemos nossas cabeças para ti, Poderoso Orixá, e se tivermos merecimento, dentro de tuas severas Leis, que possamos recorrer de Tuas Forças, para pedir pelo equilíbrio, justiça social e política deste nosso Brasil e o robustecimento de nossas vidas pessoais.

Kaô Kabecile, meu Pai

Alex de Oxóssi
Rio Bonito - RJ
Ler Mais

AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM

auto1

 

Para se prosseguir na caminhada equilibradamente, cada um deve cultivar a autoestima, isto é, a conservação sadia do seu ego.

Não se deve confundir com o cultivo da autoimagem, que leva frequentemente à hipertrofia deste ego.

O ego significa o eu de cada um, o qual procura harmonizar os desejos e a realidade. Baseia-se, de acordo com Freud, nas vivências de eventos anteriores que se adequam à realidade do indivíduo. Embora, nós, que acreditamos na reencarnação, saibamos que memórias ancestrais vão interferir no desenvolvimento de nossa personalidade, as dívidas que carregamos, as lições que temos de aprender, tudo isso influenciará com certeza nessa construção do eu.

É necessário perceber-se, e ao mesmo tempo ter a percepção que se está adequado à vida. A sensação de inadequação é fruto de vivências que prejudicaram a percepção do eu frente ao mundo. E assim, o indivíduo pode ficar oscilando entre a “minusvalia” e a “plusvalia”, até chegar ao equilíbrio. Ou pode cristalizar-se em algum destes extremos indesejáveis, que seria a autoestima muito baixa, ou excessiva.

Uma deturpação na autoestima poderá levar a pessoa ao enaltecimento da autoimagem, ou transformá-lo em portador de insegurança crônica. Se o indivíduo for médium, serão nestes pontos fracos que os inimigos da Luz irão atacá-lo, jogando-o em estados alternantes de desorientação e inadequação diante o mundo.

A autoestima, quando diminuída, pode-se refletir como um complexo de inferioridade, sentimento de incapacidade, apatia, desencorajamento, que refletem indiferença para com os próprios valores pessoais e geralmente se apresenta como um estado de tristeza. Em contrapartida, na ampliação equivocada da mesma, refletindo-se na autoimagem, reveste-se de arrogância, prepotência, orgulho, ditatoriedade, egotismo, até chegar à crueldade, maldade, e vingança, além da manipulação de situações a seu favor, de forma arbitrária.

auto A autoestima equilibrada, que deve ser a busca de cada um, é o respeito a si mesmo e tudo e todos ao seu redor.

Quando estamos na ilusória faixa vibratória do eu, falamos e não sabemos ouvir, e há intensa necessidade de ser o centro das atrações.

Quando nossa autoestima é saudável, temos tempo e paciência para escutar, mais que falar.

Quando o ego nos assalta, começamos a julgar e a criticar a todos, perdendo a noção de compaixão e compreensão pelas pessoas e o mundo à nossa volta. Ao contrário, uma boa autoestima permite-nos aceitar e ouvir o ponto de vista dos outros, mesmo que não concordemos com eles, entretanto, sem nos influenciarmos, estabelecendo limite ao que somos e queremos e ao que os outros esperam de nós.

A impaciência, ou ansiedade são sinais claros que queremos dominar o tempo, e o que está ao nosso redor. Nesse caso, é tempo de parar, olhar mais para nós mesmos e deixar de culpar os outros se as coisas não estão andando certas.

Estar atento é necessário quando se quer uma vida emocional e mental mais calma e serena. Se formos depender do outro para uma aceitação plena, iremos viver sempre sem autoestima.

Nossa percepção às vezes é afetada pelo cansaço, estresse, forte autocrítica, de forma que nos sentimos insatisfeitos e inseguros. Todo o ser humano deseja ser aceito e apreciado, e no lado oposto, reage mal às críticas.   Se por um lado, como dizia Chico Xavier, devemos evitar as críticas, cultivando em primeiro lugar a candura e o silêncio, nem sempre é possível evitá-las.

Se formos esperar do outro uma aceitação plena, vamos sempre viver sem autoestima. Assim, ela não pode estar vinculada à apreciação positiva ou negativa do outro.

Nossa autoestima no dia a dia vem e vai. Mas precisamos trabalhar esta auto aceitação, e com ela, a vontade de progredir. Manter o controle das emoções, a energia positiva inquebrantável, e a religiosidade e a Fé, que nos traz calma, serenidade, equilíbrio, a busca de uma visão correta e tranquila do que se passa ao redor e no nosso interior.

È necessário cultivar a autoestima todos os dias, convivendo com as fases boas ou menos boas, procurando não se desequilibrar com emoções descontroladas em uma ou outra ocasião. Manter sentimentos menos bons se transformarão em desperdício de energia, então vamos evitar críticas, apreciações negativas à nós mesmos e aos outros, e ao contrário, trazer até nossos coração, o Sol, a Luz, a vontade de lutar, vencer barreiras, atingir novas etapas e objetivos mas dentro da simplicidade, da placidez, da paz imperturbável.

 

Alex de Oxóssi

Rio Bonito - RJ

 

 
Ler Mais
 
UMBANDA | by TNB ©2010